sábado, 24 de agosto de 2013

INDEFINIDA

Não sou a ilusão que tu sonhavas
Nem o esboço do sonho que querias
Fui perdendo as formas enquanto tu me desenhavas,
E nesse vago pouco a pouco me esquecias.

Fiquei assim indefinida e incompleta

Fiquei sem cor, esvaecida
Como a imagem que retrata uma época
De um tempo perdido nessa vida.

E hoje não me amo nem me amas
E vou me apagando com o tempo
O destino tem lá as suas tramas...
Não sou mais eu, nem as muitas que me invento.
 

Ana Roen

Nenhum comentário:

Postar um comentário