sexta-feira, 9 de setembro de 2011

A ROSA DA TRISTEZA

Vai, arranca as tuas flores
Vai, desfolha esse jardim
Plantação de desamores
Borboletas de marfim.

Vai, se joga nesse afã
De sofrer a vida afora
Pois a tua sorte é vã
E o amor te ignora.

Vai e bebe com frieza
Cada gota desse amargo
E se vires a tristeza
Não a deixes ir à largo.

Aproveita o ensejo
De visita tão honrosa
Peça a benção, da um beijo
Faça dela a tua rosa.

Ana Roen


Nenhum comentário:

Postar um comentário