segunda-feira, 12 de setembro de 2011

FLORES NO PRECIPÍCIO

Persigo o caminhos das flores
E colho desilusão
A rosa dos meus amores
Vai sempre na contramão.
 

Desembarco sempre atrasada
Não é a estação
Passaram apressadas
Ao longe florido vagão.

E nunca está ao lado
As flores onde se apanha
Sempre em vale escarpado
Ou no alto da montanha.

Será que é só isso?
Será que tudo é assim?
Flores no precipício
E a vida a passar por mim...?

Ana Roen

Nenhum comentário:

Postar um comentário