domingo, 17 de julho de 2011

SER POETA

O que seria 
Comparado
Ao prazer de olhar o firmamento
Sentir-se desamparado
Por vezes tristonho
E sentir o pensamento

Como um ser supremo alado
A estar onde não estamos
A ver o que nós não vemos?!

Ter a nítida impressão, um traço
De felicidade e dor
Pairar no espaço
Asas de condor

Ir por onde quiser
Ter a inquietação
E saber que tudo o que fizer
É valido é vão

Ser apenas
Sentir-se
Pleno
E perder-se na imensidão


Até ser
Plenitude e imensidão!

Ana Roen

Nenhum comentário:

Postar um comentário