terça-feira, 12 de julho de 2011

QUANDO O AMOR TEM QUE MORRER

Amar sem ter pedido
De um amor sem precedente
Por não poder ter escolhido
Uma dor menos pungente.
Mesmo assim bem definido
Esse amor não pode ser
Se é amor perdido
Amar pra que?
Inda assim bem consciente
Que esse amor tem que morrer
Olha apenas, mede e sente
E deixa ele crescer.
Uma coisa abstrata
Não se sabe de onde vem
Então como se mata
O amor em alguém?
Como não pensar
Que um dia pode ser?
E continua a caminhar
Em direção a esse querer.
 Acredita que existe
Uma chance em um milhão
E então se permite
Um pouco mais de ilusão.
Mas ilusão não satisfaz,
E para si mesmo diz:
Ilusão não quero mais
Eu preciso ser feliz.
Se revolta e joga fora
Abre os braços e solta
Pede: amor  vai embora
E ele vai, mas volta!

Ana Roen

Nenhum comentário:

Postar um comentário