terça-feira, 19 de julho de 2011

POEMA EM DOIS ATOS

Com o cair da noite
Nenhuma nova surpresa
No fim do corredor
A luz acesa
Não expulsa velhos fantasmas
E o mesmo quadro de horror
Moldura a minha tristeza.

Dormirei!

Cai novamente a noite
E o que se mostra?
Aquela imagem
Sobreposta.
Estou
Presa
No mesmo quadro de horror
Moldura da minha tristeza!

Não dormirei!

Até que se apague
A última luz acesa
Pois naquele quadro de horror
A moldura é a minha tristeza!

Ana Roen

Nenhum comentário:

Postar um comentário