quinta-feira, 7 de julho de 2011

FACE OCULTA

Quem pode dizer o que sou
Se nem eu sei responder
Só sei o que me custou
Trazer comigo este ser
Que se embriaga de uma dor
Como um vício que não se cura
Se parte do que sou
Tem a face tão escura
Que pode assim esconder
De si mesma o que procura.

E se não me encontram é porque
Sou da cor que ninguém vê!

Ana Roen

Nenhum comentário:

Postar um comentário